segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

UMA NOTA EM RELAçAO AO POST DO VINHO...

Em lado nenhum do meu post disse que em Portugal os vinhos nao prestavam e que aqui sim, é que a pinga era boa, nao esta nas entrelinhas nem no contexto do post, se assim foi interpretado, tenho pena... quanto ao vinho da Casa Ermelinda Freitas, sei que ganhou um premio com uma prova cega, atençao que isto é de merito e que tem vinho muito bom, nao apenas da Casta Syrah, conheço o vinho, a casa e a pessoa que esta por detras da marca, a Sr.a Leonor Freitas, mas ainda assim prefiro este que provei, se é Italiano, Chines ou Marroquino estou-me nas tintas, passa-me muito bem pelo estreito e eu gosto, assim sendo, eu gosto, patriotismos a' parte que este post nao se presta a isso... estamos percebidos?
P.S. Para que nao restem duvidas para os demais...

3 comentários:

francis disse...

nada como uma bela vinhaça.
esse nunca provei, vou estar atento.
as senhoras que referes já compram vinho fora da região delas. sado para qeum não saiba. já não havia quantidade suficiente para tanta marca da ermelinda.
mas bom vinho, daquele mesmo bom, é douro. portugal, claro está.

jg disse...

O que eu tive que te "picar" para me dares troco!!!
Fosga-se...

trigolimpofarinh@mparo disse...

Posso ter cara de abstémio, mas de vinhos (também) percebo eu:

De facto um vinho da Casa Ermelinda Freitas ganhou esse tal prémio mas, tal como dizes, foi um mono casta, neste caso da casta Syrah, mas acrescento que também de um ano especifico, neste caso 2005. Ou seja, nem o 2004, nem 2006, por ai fora foram premiados.

Mas agora confesso-te um espécie de segredo sem isto querer por em causa os dotes do júri de tais concursos. Havia um certo vinho, que agora não vem ao caso mas posso dizer que é Português, que estava ganhar pó em armazém pois ninguém lhe pegava. Certo dia saiu uma noticia num canal qualquer a dizer que esse tal vinho, tal ano, havia sido considerando um belo de um vinho. No dia a seguir era vê-lo a voar literalmente às paletes e depois, por arrasto, toda a gama da marca também seguia. Em conclusão, por vezes, e neste caso são vinhos, um pequeno empurrão faz milagres.

Mas sim, seja ele Português, Chileno, Australiano, Argentino, Espanhol ou Italiano, o que interessa é como nos sabe, e isto, a meu ver, também está paralelamente ligado ao nosso estado de espírito entre, é claro, outras condicionantes.

Boas pingas!