quarta-feira, 8 de setembro de 2010

conto pelos dedos das mãos os amigos que tenho, não preciso de frisar que são aqueles amigos do peito, aqueles a quem muito se quer bem e tré té té, falo de amigos e acho que isso basta, sinto-me feliz por cada um deles, pelas qualidades e defeitos de cada um, por saber que são especiais e que são meus, só meus! Tenho pena que apenas um deles esteja aqui comigo, queria-os a todos aqui, mas as nossas vidas tem estradas diferentes e esta é uma realidade à qual já me habituei, mas ainda assim, a esta distância de 2500 kms nunca, mas nunca os esqueço e nem eles deixam que isso aconteca.
Pedro, este post é para ti (que sei que me visitas desde há muito em segredo), doi-me o coração saber que continuas a sofrer e não te posso dar aquele abraço que precisas...
"Há um tempo que é preciso abandonar as roupas usadas... que já têm a forma do nosso corpo... e esquecer os nossos caminhos que nos levam sempre aos mesmos lugares...
É o tempo da travessia... e se não ousarmos fazê-la... teremos ficado para sempre...
À margem de nós mesmos!"
Fernando Pessoa

1 comentário:

Olhos Dourados disse...

Não é preciso ter muitos amigos desde que o que tenhamos sejam bons!