terça-feira, 14 de setembro de 2010

hoje sem quês nem porquês recebi uma chamada de um individuo que estava à procura de uma colaboradora e que por meio de um conhecido meu tinha o meu numero e um monte de referências minhas como a "tal" para o lugar, devo confessar que a proposta ao telefone não me desagradou e como tal fui à entrevista mal que saí do trabalho.
Acabada de chegar deparo-me com um meia lecas de camisa meio aberta e com a pelagem toda à mostra -nooooooo-joooooooo- depois de ouvir a discrição da empresa, do lugar em si, do horário, do ordenado, do contrato, dos funcionários e tré té té (que se diga de passagem não era uma má proposta e ainda por cima a dois passinhos de casa) como cereja em cima do bolo disse-me que para o caso de aceitar a proposta teria de assinar a minha carta de demissão antes de assinar o contrato, forma esta que é regra da empresa e que lhe permite estar em segurança, "what?????????? na percebo????? carta quê?????? desculpe mas não entendi" e ele com toda a paciência e toda a "lata" lá voltou a explicar e eu cheguei à conclusão que afinal não tinha ouvido mal (a carta ficaria em seu poder até quando ele entendesse que tinha chegado a altura de a usar), a minha resposta foi imediata, mas a minha indignação ainda continua. Eu não sei se isto foi um caso isolado ou se é prática corrente, mas ainda assim foi a maior barbaridade que ouvi até ao dia de hoje... uma ofensa!

4 comentários:

Olhos Dourados disse...

Que pariu! Nunca tal ouvi na minha vida!

ML disse...

Whatti? :O

Jersey disse...

Olá,

Não fiquei nada surpreendida! Ainda tal não me aconteceu, mas já me aconteceu uma série de situações tão cómicas, para não dizer trágicas, como esta!
E sim, receio bem que este tipo de barbaridades e outros tantos atentados á inteligência de pessoas como nós sejam práticas mais do que comuns, são mesmo politicas de certas ditas empresas!
Deve ser por isso que eles é que contratam e nós somos as candidatas...

MJFK disse...

Impressionante... sem comentários.