sábado, 4 de setembro de 2010

o dia hoje foi enorme, minutos demasiado longos que se prolongaram por horas intermináveis, não via a hora de os ponteiros baterem nas quatro para me por a milhas. Enquanto o relógio não cumpria a sua função, finalizei mais um livro de Sparks, uma vez mais não me decepcionou e ofereceu-me mais uma grande leitura. No caminho a casa não me distraí com nada nem com ninguém, e respirei de alívio quando meti as chaves à porta e vi o meu castelo, o meu porto de abrigo, o meu lar doce lar. Daqui ainda não saí nem tenho intenção de o fazer, o telemóvel está em modo silencio, a preguiça no seu ponto alto, o que significa que não há arrumações nem limpezas para ninguém, ainda não decidi se vou ver um filme ou começar um novo livro, sei apenas que mal esta preguicite me passe, preciso de reorganizar ideias, definir metas e tomar decisões!

Sem comentários: