quinta-feira, 5 de agosto de 2010

ANDAVA EU NO SUPERMERCADO...

com o meu homem (que lindo, sempre sonhei dizer isto... "o meu homem"), naqueles supermercados tipo Makro a fazer a despesa para casa e também para o bar, deu-me uma larica e resolvi abrir um pacote de pringles que tinha no carrinho e começar a comer (como já aconteceu tantas, mas tantas vezes que já lhes perdi a conta), enquanto fazia as compras, parei no corredor dos produtos de higiene e ali fiquei perdida entre shampoos, cremes, máscaras e mais umas tantas futilidades que adoro, enquanto carregava as coisas para o carrinho que estava num corredor paralelo pousei no chao o pacote de batatas e uma embalagem de 3 pastas de dentes (porque os meus dois braços não me permitiam levar mais mercadoria), pouso as coisas no carrinho e volto atrás, surpresa das surpresas não estava lá nada (não demorei mais de 2 minutos, nem coisa parecida), vou de novo à prateleira das pastas de dentes e oiço nas minhas costas: "Desculpe, não se importa de me dar o seu cartão de cliente, por favor", annnn?!?!, viro-me e vejo um gajo minorca, com o cabelinho à fodasse, mas com ar de impector das finanças, "desculpe, está a falar comigo?", mas nem precisei de ouvir a resposta para deduzir que sim, porque o anormal tinha o meu pacote de batatas na mão, epá, a sério, só me faltava mesmo aquele anormal para me lixar os cornos, ainda por cima com filmes, é verdade que ele não me conheçe e situações de pessoas que comem e abandonam os pacotes devem ser o pão nosso de cada dia (mas sinceramente não acredito que abandonem produtos consumidos no meio de um corredor, mas enfim) , mas caramba, a minha primeira reacção foi rir, do ridículo de tudo aquilo, depois perguntei-lhe se não importava de me devolver as batatas, o que ele recusou, estavam apreendidas (ha ha, a sério, ainda me rio a pensar nisto), não me expliquei, não me alterei e nem me preocupei, abri a mala, e dei-lhe o cartão, enquanto lhe chamava "conanas de merda"... fodasse é o que eu digo, estas merdas só mesmo a mim...

6 comentários:

Leana disse...

Haha realmente, há cada um...estou mesmo a imaginar a figurinha, normalmente são magrinhos, de óculos e cabelo oleoso :D

Mas isso ainda foi a modos que in private, eu no outro dia fui lanchar aos pastéis de Belém, como estava com pressa e não via o empregado de mesa em lado nenhum, levantei-me e fui pagar à menina que estava na caixa da sala. Já ía na rua (no meio daquela gente toda) quando ouço alguém aos berros, a correr atrás de mim e a chamar-me, era o estúpido do empregado de mesa que achava que eu tinha saído sem pagar :s
WTF?! Só me apeteceu esganá-lo!!!

Bjinhosss

Olhos Dourados disse...

LLOOLL!
Que grande cena!

Cloudman disse...

Lol, não sabia que existiam esses tipos...

Coelhinha disse...

Essa de fazer a despesa soa-me a "fare la spesa" lol, tive que comentar, tb vivo no estrangeiro e de vez em quando tb me saiem umas do género!!!!Beijinhos.

coisasdacleo disse...

É-nos irritante quando nos tomam pelo reles do cliente que come e não compra, consome e não paga. Mas a verdade é que aquilo mesmo que tu dizes "mas sinceramente não acredito que abandonem produtos consumidos no meio de um corredor, mas enfim" É a maior das verdades. E acontece-me todos os dias ter de entregar no segurança dezenas de embalagens abertas, consumidas e abandonadas - escondidas - no meio da roupa!

Acontecimentos =)

S* disse...

Mas que raio? Bem, faz parte das funções do senhor... há mesmo gentalha que come e deixa o pacote vazio.