domingo, 30 de janeiro de 2011

sábado, 29 de janeiro de 2011

e pronto aqui ando eu, com a máscara de mulher forte mas toda fodida por dentro. Os dias passam e o que me doía agora começa a corroer, a fazer mossa, a fazer buraco. Como se ver quem me fez sofrer na merda fosse o meu objectivo, me desse algum prazer, me trouxesse alguma paz de espírito.
Preciso de recuperar a minha sanidade mental urgentemente.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

perdida no meu silêncio, para tentar ouvir o meu coração

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

às vezes vivemos vidas que não nos pertencem, que não são nossas, na qual julgamos ser as protagonistas, mas que afinal de contas não passamos de espectadores duma realidade que desconhecemos, que não sabemos sequer como lidar.
O último ano foi o ANO, deixei trabalho, casa, familia, amigos, deixei o meu país, deixei tudo o que conhecia, tudo o que sou, porque acreditei que estava na hora de apostar em mim, de apostar em nós, de dar um novo passo numa relação que 15 anos amadureceram. Pela frente tive um caminho duro, de adaptação, de novidade, pensei muitas vezes que não o conseguia fazer, mas o tempo demonstrou-me que estava errada, abri os braços e dei-me a esta aventura, a este novo começo, e a partir desse momento as coisas foram acontecendo.
Quando o fim do ano chegou foi a altura de sentar na mesa e reformular objectivos e de fazer a preparação para mais um ano, nessa altura percebi que o jogo não estava todo em cima da mesa, percebi que faltavam cartas, ainda pensei que talvez fosse paranóia e como tal resolvi que não adiaria mais a minha viagem a Portugal, que estava na hora de partir, de estar comigo e com os meus pensamentos. Dez dias foram mais que suficientes para me encontrar, de volta à realidade e nem uma semana depois tenho as respostas a todas as minhas perguntas.
A vida colocou-me à prova, está a testar-me, está a medir forças comigo e eu estou a deixar-me levar, estou a render-me... sei e acredito que toda esta tempestade vai passar, que me vou levantar de novo, que o tempo cura tudo, mas o processo que está apenas a começar está a ser mais doloroso que alguma vez pensei.
Falo hoje sobre isto porque sinto uma necessidade muito grande de o fazer, não espero compaixão, risos, ironia ou pena de ninguém, não espero nada, escrevo apenas porque a vontade de o fazer é maior que qualquer outra coisa. Talvez amanhã apague, quando sentir que não faz mais sentido, que não quero recordar, mas hoje, hoje não...

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

sinto-me um trapo, sujo, gasto, usado. Sinto-me num vazio, sozinha, traída e enganada. Levei o maior balde de água fria que alguma vez pensei, não sei ainda muito bem o que sentir, o que fazer, porque nunca tinha colocado esta hipótese, quase com a sensação que me cortaram as pernas e que não consigo sair do mesmo lugar. Nem sei porque estou a escrever sobre isto, como se precisasse de registo ou de espectadores, ou se como alguma vez na minha vida precisasse de vir aqui para recordar isto. Talvez num acto masoquista prefira isto a desabafar com alguém... talvez prefira isto a admitir verdadeiramente que aconteceu de facto. Sinto-me um trapo, sujo, gasto, usado.

sábado, 22 de janeiro de 2011

Lyonce Viiktórya???!!!!????
ah ah ah ah ah, que bela anedota, hi hi, vá lá, agora a sério, como se vai chamar a menina?
e prontos, as minhas lindas férias por terras lusas já acabaram e o meu coraçãozinho ainda não se recuperou das despedidas!

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

ai pois é, chegou dia 10 e eu nem via a hora de dizer isto... asta la vista, baby!

sábado, 8 de janeiro de 2011

ai agora sim, estou melhor, fui ao centro para comprar as tais 16 prendas que quero (queria) levar para Portugal, mas entrei na Zara e na H&M como uma maluca e comprei só para mim, aliás, nem me lembrei de mais ninguém. Uns sapatos, dois pares de calças, dois casacos de malha, acessórios, e muita roupa interior... agora sim, estou melhor e pronta para viajar! Já é segunda-feira?????
O Carlos Castro morreu?????? de facto eu aqui ando mesmo a leste de tudo!

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

de quando em quando levamos um valente murro no estômago assim como quem não quer a coisa. Suporto muita coisa, mas mentirem-me à cara descarada é que não, ainda por cima quando sei que me estão a mentir. Estas férias, apesar de marcadas à mais de um mês e longe de prever qualquer acontecimento, vieram no momento justo.
vamos lá então a contabilizar os estragos que o Sr. Hulk fez, aquando da sua permanência cá no ninho:
- cortinados do quarto (não satisfeito de ter comido as baínhas, toca a manda-los cá para baixo com varão e tudo);
- candeeiro de pé que também se encontra no quarto (comeu a ficha e parte do fio, ainda estou para saber como não apanhou um choque, mas ok);
- chinelos (já lhes perdi a conta), vamos lá a ver se as croks dos chineses resistem.
para o próximo mês actualizo a lista!

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

resoluções para 2011, epá tenho tantas, hajam dias para concretizar tanto que quero fazer, mas o que eu gostava mesmo, mas mesmo, mesmo, era que a puta da greve dos transportes (autocarros e comboios) de dia 10 fosse cancelada, é que eu tenho um avião para apanhar em Milão e adorava conseguir realizar tamanha proeza... vamos lá pá, cancelem essa merda!

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

et voilá, aqui estamos em 2011!
Os dois primeiros dias do ano foram passados literalmente fora de casa a lorear a puvide, muito passeio, muita ramboia, almoçar na casa deste, jantar na casa daquele, ir beber um copo ali, mais um aperitivo acolá, dar umas voltinhas na montanha russa (num parque de diversões que até dá dó, se é que se pode chamar parque de diversões, mas enfim), rapar muito frio e chegar a casa completamente de rastos a pedir descanso, muito descanso!
Hoje logo pela fresquinha toca a dar corda aos sapatos e sair cedinho da cama, porque antes de partir para Portugal tenho uma infinidade de coisas para fazer. Comecei logo bem quando reparei que a minha caldeira morreu, resumindo não havia água quente nem aquecimento para ninguém, vai de aquecer água e inventar uma espécie de banho, quando meia hora depois acabei o que deveria ter demorado o máximo de 5 minutos, toca a ligar para a assistência e chorar para que venham cá o mais rápido possível, depois de muita espera lá consegui uma visita para quarta feira de manhã (muito frio vou rapar nesta casa até quarta feira, mas enfim).
Já com os nervos em franja vou à agência imobiliária (atrasadíssima) rescindir o meu contrato de aluguer, depois de assinada a papelada toca de ver outras possíveis casas, umas pequenas, outras caras, outras longe para burro, nenhuma com o jardim que eu tanto queria (e quero), uma pincelada, mas até 03 de Julho não me doa a cabeça, terei mais que tempo (espero).
Para relaxar um bocadinho fui até à minha rua favorita ver o que os saldos me ofereciam, mas para minha grande desilusão ainda não começaram, na melhor das hipóteses terei sorte lá para dia 06, resta-me esperar que os meus adorados oxford shoes em pele castanha e o meu casaquinho beje esperem por mim.
Agora é hora de meter mãos à obra e fazer limpezas nesta casa que mete medo, passar a montanha de roupa que me espera que não me lembro desde quando, recarregar este frigorífico e esta despensa e lavar mais outra tanta montanha de roupa... que bem que o meu ano começa, ano novo, mesma vida!